All Posts By:

Helen

Arquivado em Carreira Publicado em
Setembro 11, 2017

Se você quer empreender, fique de olho nas irmãs Alcântara!

Se você é mulher e já pensou em empreender, é bem provável que já tenha ouvido falar de Girlboss, livro da Sophia Amoruso, fundadora da Nasty Gal, considerado por muitas uma bíblia do empreendedorismo feminino. Mas e se eu te disser que temos um exemplo (e um fenômeno) tão maravilhoso quanto, aqui, mais pertinho da gente? Ele se chama irmãs Alcântara!

Barbara, Débora e Júlia são 3 irmãs de Curitiba que em 2010 criaram o blog Tudo Orna, onde compartilhavam (e compartilham até hoje) experiências e dicas sobre a cidade onde moram. Com a internet conquistada, foi a vez de ir para os produtos físicos: lançaram a Orna Concept, marca de acessórios incríveis (a bolsa Tarumã é meu sonho de consumo há tempos) e a Orna Makeup, que tem como principal missão valorizar todos os tipos de beleza!

Como se não bastasse, elas também estão à frente do Orna Café, que descrevem como “um café para quem muda o mundo”. Mesmo ainda estando em construção, ele já virou ponto turístico em Curitiba, graças ao #tapumesolido.

Com toda essa bagagem e espírito empreendedor, claro, elas estão lançando mais um projeto: o Efeito Orna, que será um curso online pra quem quer usar a internet para criar e posicionar marcas! Enquanto o curso não é lançado, elas abriram as inscrições para um Workshop gratuito e online que rola nos dias 14, 15 e 16 desse mês (essa semana, pra ser mais precisa haha), onde elas apresentarão a ferramenta Teia do Efeito, que permite medir os pontos fortes e fracos no seu posicionamento digital. Legal né?

Pra quem quer participar do workshop é só se inscrever no site www.efeitoorna.com, simples assim!

Alguém tem alguma dúvida de que as irmãs Alcântara vão dominar o mundo?

  • E você, já conhecia o trabalho das meninas? Me conta o que achou!
Escrito por /
Arquivado em Carreira Publicado em
Agosto 22, 2017

4 Erros da série Girlboss que você não deve cometer

Quando foi anunciada, a série Girlboss, da Netflix, foi bastante aguardada. Não é pra menos, afinal, a história de Sophia Amoruso, fundadora do site Nasty Gal é bem inspiradora!

Porém, o sucesso não foi o esperado e a série foi cancelada logo na primeira temporada. Não é pra menos: apresentou uma protagonista chata (pra não dizer irritante, arrogante e zero carismática).

Apesar da decepção, dá pra tirar 4 lições bem valiosas do que não fazer no trabalho:

1. Achar que pode construir um império sozinha

Você pode até ter uma ideia visionária e acreditar no sucesso dela, mas você vai precisar de ajuda. No início pode ser que sua família ou amigos sejam responsáveis por esse apoio até que você tenha uma equipe contratada. De qualquer forma, é importante respeitar e confiar no trabalho dos outros. Saber delegar é um dos segredos dos grandes líderes. Coisa que a Sophia da série demorou pra perceber, por se achar superior e capaz de tomar conta de tudo.

2. Se achar no direito de desrespeitar as pessoas

Seus fornecedores, clientes, equipe e até mesmo seus concorrentes são importantes. Não importa se o seu negócio está superando as expectativas, nada justifica desrespeitar alguém. Para as pessoas não importa se você fatura 100 reais ou um milhão por ano, gentileza não tem nada a ver com o contracheque.

3. Ignorar a pesquisa de mercado

São seus clientes que definem o que querem. Na história, Sophia tentou emplacar um lote de produtos que ela achou incrível, mas não rolou. É preciso estar atenta às escolhas e necessidades de quem te procura, assim o risco de ficar com algo encalhado e assumir um prejuízo é menor.

4. Achar que seu negócio não é um negócio

Por mais que tenha começado com um hobby, se a intenção é sobreviver com isso, é preciso virar a chavinha e encarar seu projeto como um negócio. E isso inclui toda a burocracia envolvida: planejamento, controle financeiro, e etc. Amar o que faz é ótimo, mas amor sozinho não paga as contas né?!

E você, assistiu a série? Que outras dicas do que fazer (ou não fazer) você identificou?

Escrito por /
Arquivado em Beleza Publicado em
Agosto 16, 2017

Spa em casa: como fazer e quais produtos eu tenho usado

A gente vive na correria, tentando conciliar trabalho, estudos e uma infinidade de outras obrigações e com isso acabamos deixando de lado aquele tempinho só pra gente! Mas pra aliviar o stress nada melhor do que separar algumas horas pra cuidar da gente mesma! Já pensou em fazer um spa em casa?

Imagem via Freepik

 

Que tal separar pelo menos um dia no mês pra fazer esse “ritual” e aproveitar a sua própria companhia? Aqui embaixo eu te conto como costumo fazer e quais produtos eu tenho usado (os links pra comprar estão na legenda de cada foto):

1. Prepare tudo

Escolha o dia e o horário mais tranquilos. Aqui em casa, o sábado de manhã é perfeito! Escolha uma playlist incrível (eu to mega ansiosa pra ver Bon Jovi no mês que vem, então não paro de ouvir essa playlist temática) e já deixe separado os produtos, acessórios, toalhas e afins que você vai precisar.

2. Cabelo hidratado

Sempre começo pelo cabelo: lavo e aplico uma máscara para hidratar. Tenho adorado essa da Salon Line, da linha #TôdeCacho (meu cabelo natural é ondulado). Ela é liberada (não tem silicone, parabenos, petrolato e nem óleo mineral) e é indicada para cabelos com curvaturas 2ABC, 3ABC e 4ABC. Depois de aplicar e massagear bem, coloco uma touca e deixo o produto agir.

3. Pele de pêssego

Enquanto a máscara capilar age, aproveito para esfoliar o rosto e aplicar uma máscara. Gosto bastante desse esfoliante da Natura, acho abrasivo na medida certa. Também tenho adorado essas máscaras da Korres, escolho uma das duas dependendo do que minha pele ‘pede’ no momento.

4. Mãos (e pés) de princesa

Uso o Instant Remover Sally Hansen pra tirar as cutículas e faço as unhas normalmente, sem esquecer de passar uma base fortalecedora antes do esmalte.

5. Hora do banho

Hora de retirar as máscaras do cabelo e do rosto. Aproveito para esfoliar o corpo. Depois do banho, é hora da hidratação: tenho gostado bastante dos óleos e hidratante da linha Encanto da Avon.

6. Para finalizar

Tonifico e hidrato o rosto, sem esquecer de finalizar com o protetor solar. Também aplico o Idealia nas olheiras (minha briga eterna haha). Gosto de uma hidratação mais potente nos pés, então tenho usado essa espuma da Footner, que ganhei da Netfarma, ou o hidratante Footworks da Avon.

Já tá todo mundo aí se sentindo mais bonita e relaxada? Me conta como você faz o seu spa em casa!

Escrito por /
Arquivado em Carreira Publicado em
Agosto 14, 2017

Porque é tão importante manter um site ou blog para sua empresa

Pra quem tem o próprio negócio, as redes sociais são ótimas ferramentas de divulgação e até mesmo de venda, pois são gratuitas e alcançam um bom número de pessoas, porém, ainda sim é importante manter um site ou blog para sua empresa e eu vou te contar o porquê!

Imagem via Freepik

Seu domínio é seu RG no Google

O Google é um dos mecanismos de busca mais utilizados, isso você já deve imaginar! Mas o que muitos não sabem é que um domínio personalizado e posts com palavras-chave certeiras tem maior chance de serem visíveis no Google e aparecer nos primeiros resultados do site.

Todas as informações em um só lugar

Acho que é autoexplicativo né? Se alguém precisa de qualquer informação sobre você ou sua marca já sabe onde deve ir. Pois é no seu site que estarão todas as suas informações. Imagine se tivesse que ir no Facebook para encontrar seu endereço, ir até o Instagram para ver seus produtos…

É seu de verdade!

Você já parou pra pensar que suas redes sociais não são suas de verdade? Imagine o seguinte: de repente você acorda e todas as redes sociais deixaram de existir, como ficaria seu negócio? Pode parecer um cenário impossível, mas lembra do que aconteceu com o Orkut há alguns anos e o que está acontecendo com o Snapchat atualmente? Se uma rede deixa de existir, todos os seus conteúdos e anos de trabalho vão pelo ralo! No caso de um site ou blog, você adquire um domínio e um plano de hospedagem, ou seja, esse pedacinho da internet é realmente seu, não importa o que o tio Mark Zuckerberg resolva mudar.

Agora eu tô me dedicando à criação do meu site para os serviços de consultoria de imagem e espero que logo ele esteja no ar! E você? Em qual etapa está a criação do seu site ou blog? Deixa o link aqui nos comentários ou nas minhas redes sociais para que mais gente possa conhecer!

Escrito por /
Arquivado em Lifestyle Publicado em
Agosto 12, 2017

Se você ainda não assistiu Anne with an E, por favor, assista!

Eu já tinha visto Anne with an E nas sugestões da Netflix, mas não tinha dado muita bola, até que minha mãe assistiu e fez propaganda. Mesmo desconfiada (meu gosto pra séries e filmes não tem nada a ver com o da minha mãe haha) resolvi dar uma chance. AINDA BEM!

A série se passa na Ilha do Príncipe Eduardo, no Canadá, no final do século 19 e foi inspirada no livro Anne of Green Gables (aqui também é conhecido como Anne Shirley).

A história começa quando um casal de irmãos decide adotar um menino para ajudá-los com as tarefas da fazenda, já que estão ficando mais velhos. Porém, devido a um erro, o orfanato envia uma menina no lugar: Anne.

Anne tem 13 anos e perdeu os pais quando ainda era um bebê. Durante a infância sofreu diversos traumas e nunca teve um lar de verdade. Apesar disso, é tagarela, sonhadora, bastante esperta e tem uma imaginação fértil!

Trailer

Logo no início a série já nos prende diante do impasse dos irmãos Matthew e Marilla Cuthbert decidindo se ficarão com a menina ou a devolverão para o orfanato. Não são necessários mais que 10 minutos para se envolver com a história!

A série traz outros temas complexos como bullying, feminismo, diferenças sociais, entre outros tabus para a época (e para os dias atuais!) de uma maneira extremamente leve. Há momentos bem dramáticos, que eu aconselho deixar os lencinhos preparados, mas há também momentos bem divertidos, já que Anne é especialista em arrumar confusão. É impossível não se apaixonar pelo carisma de Amybeth McNulty, a atriz que interpreta Anne.

Além disso, a série é visualmente linda, cheia de paisagens incríveis. A abertura é um espetáculo a parte, bem lúdica, olha só:

São 7 episódios, o primeiro tem 1h30 e o restante tem aproximadamente 44 minutos de duração. O último episódio deixou algumas pontas soltas, que devem ser resolvidas na 2ª temporada, que já foi confirmada e deve estrear em 2018.

E você, já assistiu Anne with an E? Me conta aí nos comentários se gostou tanto quanto eu!

Escrito por /